É…

7 abr

Bateu uma solidão de repente. Solidão porque não suporto quem escreve ‘derrepente’, solidão porque não me dou a qualquer um e não aceito qualquer um. Solidão de quem escolhe mais do que deve, de quem acha que, de todos que conhece, -37% não valem a pena, não merecem sequer o seu desprezo.

É essa solidão que toma o tronco, os membros, a cabeça, o coração, é essa que machuca, que deixa aquela ferida que se abre com qualquer movimento brusco.

A solidão não passa de outro plano de mim mesma. Onde eu posso conversar comigo, descordar de mim, chorar, rir, me humilhar. É, isso mesmo, ‘me humilhar’. Quem nunca sentiu vergonha de si próprio?

Quer saber, cansei de escrever. Sinto, mas esse texto morrerá aqui. Assim como muitos não cumprem com todo o seu ciclo durante a vida, o meu texto também não o fará.

Uma resposta para “É…”

  1. Babi abril 7, 2007 às 6:35 pm #

    E…
    Eu adoro você Jacú!

    =D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s