Entrelinhas de “Noite 1”, de Eduardo Galeano

22 set

Saia dos meus olhos. Liberte meus pulmões, minhas artérias, minhas veias. Solte minhas víceras, desate meu coração. Saia!
Destranque minha mente. Desplante essa semente ‘você’ que está em mim. Diga ao menos que vá embora, me dê as esperanças de que preciso, não as que me matam. Desprenda minhas asas, me deixe voar, visitar outros reinos, conhecer outros reis, rainhas. Minhas penas vão melhor fora da gaiola que é você. Me solta, pelo amor das coisas azuis e bonitas do mundo, me solta, me solta… Me solta, eu diria, se na minha garganta você também não estivesse.

“Não consigo dormir. Tenho uma mulher atravessada entre minhas pálpebras. Se pudesse, diria a ela que fosse embora; mas, tenho uma mulher atravessada em minha garganta”

2 Respostas para “Entrelinhas de “Noite 1”, de Eduardo Galeano”

  1. Babi setembro 22, 2007 às 11:28 pm #

    Conserte sua asa quebrada e voe!
    ”O mundo não para que você conserte seu coração”
    Há muitoo lá fora te esperando!

    Te amoooo!

  2. dringz setembro 24, 2007 às 2:34 am #

    Gostoso ler seus textos, Vi!

    Vou parar pra tentar ler tudo e acompanhar o seu avanço, que é acelerado e interessantíssimo! :P

    (L)
    ***:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s