Tentando entender ou tentando explicar

13 out

Como todo amante, ignoramos nossos outros planos felizes pra viver o nosso nós que jamais existiu, ou que no máximo, já morreu. Fomos riso, desespero, angustia, êxtase. E agora, o que somos?

Íntimos demais para fingir que não nos conhecemos, distantes demais para fingir que somos amigos. Sou seu erro, você minha dor. Somos uma memória esquecida, trancada na gaveta. Você sempre amou outro, e eu nunca amei ninguém. Afetos e descompassos abraçados e suados no banco do carro. Já que não somos mais, e agora?

Eu ainda espero por você, é verdade, mas tenho a esperança de te tirar de mim. Dizem que isso acontece quando não estamos prestando atenção, mas não sei bem quando é que vou deixar de prestar atenção no que sinto, pois afinal o que sinto é o que sou e penso eu que não deixamos nunca de refletir nossa condição de ser. E então concluo, com grande expectativa de estar errada, que jamais me verei livre de você. E é nesse instante que tenho a ilusão de um dia te ter pra mim e aí eu continuo assim, a esperar.

Quem sabe também isso seja apenas coisa mal resolvida do ego, esse pedante que não está acostumado a perder, que nunca tomou um não. Ou talvez eu só quisesse ter sido especial por mim mesma, pelo que sou, pelo sentimento que despertei em você e não por ter sido o seu único erro ou o maior deles. Talvez eu quisesse não ter sido um erro, por que pra mim você foi a única coisa que me pareceu certa.

Não deveríamos ter acontecido nesse momento, eu sei. Seria diferente, seria como eu queria que fosse, mas o tempo perdeu a hora, ou foi cedo demais e o que deveria ter sido um encontro, se fez desencontro. Mas não me queixo do que houve, pelo contrário, queria que houvesse mais. E eu sei que não haverá, e é por isso que agora fico escrevendo, mostrando ao mundo como me sinto. Fico no papel, abandonando sentimentos, ou pelo menos, deixando rastros deles. Quem sabe, um dia, não se esgotam? Ou quem sabe eu termine um texto com final feliz?

5 Respostas para “Tentando entender ou tentando explicar”

  1. Babi outubro 13, 2007 às 5:56 pm #

    Vc lembra daquele trecho da música do Ben Harper que agente cantou na faculdade né?

    Entããããããããooooooooooooooooooooooo

  2. Babi outubro 13, 2007 às 10:16 pm #

    Há!

    Eu acho que você deveria escrever um livro!

    Te amo!

  3. Pri outubro 15, 2007 às 2:45 pm #

    Ai meu Deus q lindo.. tenho tanto orgulho de vc..rs
    Mas passa sim.. eu sei q passa, é difícil, dói, desespera.. .mas acaba passando, vai ver!=)
    ohh menina linda amo vc!
    =**

  4. Nena. outubro 16, 2007 às 12:14 pm #

    Tá escrevendo bonito demais. (:

  5. Cacá outubro 16, 2007 às 9:18 pm #

    sei não…

    mistura lembrança e saudade com algo de angústia.
    aí parece que sé coesa minha, já te disse, né?! como me sinto qdo acontece essa identificação…
    vixe, que dá um aperto no peito!

    beijo, fulô
    fica bem =*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s