Fazendo nada

5 dez

O nhec nhec da cadeira de balanço daquele senhor me perturbava. Ele com suas barbas tão sóbrias, brancas, escondendo um rosto experiente, vivo e descansado, nem sequer notava o barulho de seu balanço. Seus olhos claros, pesados e certeiros que sempre caiam sobre lugar nenhum e lá ficavam até o moço do leite passar. O trotar dos cavalos do moço se aproximando sempre fazia o senhor erguer uma sobrancelha um pouco mais, mas não havia nada que desandasse o seu ritmo de balançar a cadeira. Talvez fosse esse ritmo inquebrável que me tirava tanto do sério.
O senhor ali ficava quase que o dia inteiro, sentava-se na varanda precisamente duas horas antes de o leite chegar, saia sempre às onze, quando uma dona gritava lá de dentro que o almoço estava na mesa. Voltava exatamente uma hora depois, fumando e ficava ali até o sol sumir na casa do vizinho da frente. Todos os dias assim, exatamente da mesma forma. O mesmo ritmo do balanço, o mesmo tragar do cigarro. Toda noite antes de sair da varanda, ele dava um longo suspiro, como quem quisesse sugar um pouco mais do mundo de fora para levar para dentro de casa, e assim ele fazia dia após dia.
O suspiro era de tudo o que mais me incomodava. Como podia ele suspirar cansado de tanto fazer nada ali naquela cadeira de balanço o dia todo? Certo dia, fui questioná-lo, afinal, dias a fio fazendo exatamente a mesma coisa.
– Com licença, senhor, mas, por que passas o dia sempre a fazer nada?
E, antes que ele pudesse arquear a sobrancelha, parou de balançar a cadeira, virou-se para mim e disse:
– Como não estou fazendo nada? Claro que estou. Estou fazendo tudo em pensamento e cada dia faço uma coisa nova. Nada faz é você, que passa o dia todo aí me olhando, achando que sabe algo sobre mim e anotando nesse caderno besta.
Após longos minutos de silêncio sem balanço, sem cavalos, sem nada, só pude agradecê-lo.
– Obrigada, senhor, destes o fim mais bonito à minha história infundada sobre dias e dias que passei fazendo nada.

2 Respostas para “Fazendo nada”

  1. Pri dezembro 6, 2007 às 11:01 am #

    Oh gente, essa menina é tão espertinha. Escreve tão bem… eu sou um fracasso pra essas coisas. hunf
    EHhh parabens pra kika linda!=D Te amo demais da conta menina!muito mesmo!!!
    beijim =)

  2. Ana Luiza dezembro 7, 2007 às 1:07 pm #

    Queria saber de onde vem tanta inteligência, inspiração, beleza…
    Até o seu fazer nada é saboroso!!!

    Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s