Arquivo | dezembro, 2008

Saudade mata

20 dez

Eu não sei explicar.
Quando você não está, eu mergulho em tudo que é seu.

Me cubro com suas roupas, seus lençóis. Respiro o mais fundo que posso tentando buscar no ar algum rastro do seu perfume. Eu me sento no sofá esperando você sair do chuveiro. Eu realmente acho que você está lá e, quando abrir a porta, vai vir aquele cheiro suave invadindo o corredor, a sala, eu.
Eu espero por você. E os meus dias são só isso: esperar por você.
Porque sem você o tempo é um desperdício contínuo de vida.
Sem você não dá.
A verdade é que eu me acabo quando você não está.

Anúncios