Guarda o grito na gaveta

11 maio

As pessoas machucam a gente tanto sem perceber que fica até aquele pensamento “será que ela realmente não vê o quanto isso acaba comigo?” Eu fico pensando se esse meu pensamento é excesso de empatia que tenho pelos outros  ou falta de empatia que têm por mim. Ainda não cheguei a nenhuma conclusão e sei também que qualquer conclusão que eu chegar não vai mudar em nada, porque eu não consigo ser mais fria do que acho que já sou e não existe a opção “forçar o outro a ser mais empático e sensível”.
Acho que consigo concentrar tudo que sinto no momento em uma única frase simples: crescer é triste. Cada responsabilidade que eu assumo, cada obrigação, direito, cada vez que eu me torno mais adulta eu me torno mais triste. E o pior não é isso, o pior é achar que isso só acontece comigo. Ao meu parecer as pessoas estão muito bem, crescendo, aceitando o “mundo novo” tão bem que os vejo abraçando esse mundo. SOCORRO!!! Será que ninguém vê que nesse mundo tem uma pessoa que não está se adaptando e precisa URGENTEMENTE de ajuda? Eu não sei mais como pedir ajuda, eu não sei ser mais óbvia do que dizer – Estou triste, me ajuda?. Olha, eu faço comunicação social e ainda assim não consigo enxergar maneira mais clara de pedir por socorro. Gente, eu não tou bem! E acredite, se estou dizendo isso assim, com essas palavras é porque eu realmente já não sei o que fazer. Morrer? Eu não quero morrer, gosto da vida, mas eu não quero continuar assim. Tristeza é ruim demais. Fugir? isso, como morrer,  implicaria em deixar as pessoas que eu mais amo tristes e eu não quero elas assim (empatia inevitável). E é aí que tá. Eu vejo que preciso estar bem pra deixar quem eu amo bem também, mas eu não consigo estar bem, não consigo. Não é mal criação, falta de vontade, rebeldia, não é. É falta de capacidade. Até o super homem tem sua vez de incapaz, deixe-o perto daquela pedrinha verde reluzente pra você ver.  Eu só estou tentando dizer é que não sei o que fazer, não sei o que dizer pra que as pessoas vejam que eu preciso de ajuda. De quem? Eu não sei, de quem quiser ajudar, de quem puder ajudar, sei lá!
Eu quero fugir. E morrer. Como já disseram, deveria existir na farmácia um metódo de morrer sem efeitos colaterais.. nos outros.
E como não há ainda, eu quero fugir e morrer de mim. Desse eu que se instaurou em mim. Desse mundo em que eu e mim nos instauramos. Não sei. Eu não sei. Talvez seja melhor este texto permanecer na gaveta.

3 Respostas para “Guarda o grito na gaveta”

  1. c. maio 11, 2009 às 1:13 pm #

    pra ti:

    “Cá de longe invento preces
    Pra findar o teu lamento
    Cada verso é um terço
    Cada estrofe, uma novena
    e há em cada poema
    palavras de acalento
    que na sobra de distância
    te envio pelo vento”

    beijo na testa.

  2. Ana Luíza maio 11, 2009 às 7:54 pm #

    Você não deixa as pessoas saberem de você. Permita que elas entrem na sua vida. Vc é linda e tem um monte de coisas lindas pra mostrar.

    Obs: Tô falando isso, mas super me identifiquei. hehe

    Beeeeeijo, eriketa!

  3. BU! maio 16, 2009 às 12:06 am #

    Ao mesmo tempo que a gaveta fecha,ela abre!
    :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s