Ao fim

17 dez

Ao fim
da secura penosa da alma,
da brancura chata do tempo.

Lava na chuva, deixa pegar vento!
Deixa nas mãos do sol,
que ele colore o que há por dentro
[e por fora também.

4 Respostas para “Ao fim”

  1. Ana Luiza Gonçalves dezembro 17, 2012 às 10:39 am #

    da brancura chata do tempo..
    adorei isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s