Amor (diferente) de marinheiro

20 ago

Lembro-me bem. A primeira coisa que fiz quando te vi foi afundar ali minha âncora. Âncora nada metafórica. Uma pulseira vagabunda de âncora que havia comprado cerca de um mês antes… Te dei. Antes de ir viajar, por medo de ser esquecida, te coloquei a pulseira no braço e fui. Você a destruiu em apenas uma semana. Também, sem metáforas. Quando voltei para casa, a pulseir,a que era preta, estava branca e se desfazendo. Como você conseguiu, nunca entendi! Mas não fazia diferença, a âncora metafórica ainda estava lá, cravada, afundada e me prendendo definitivamente a você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s