Arquivo | Vida RSS feed for this section

Carta pra você

4 maio

Ei… Ei, amor. Ei, amor, eu sei que você tá aí, escondida em algum lugar desse mundo redondo.

Pensei em te escrever de novo. Faz tempos que não nos falamos… acho que uns 10 anos, por aí. Mas, não foi porque te esqueci não, viu? É que achei que tivesse te encontrado em outros corpos. Me enganei. Acontece. Tenho certeza que quando for você de verdade, vamos rir juntas disso. E talvez você fique com ciúme das vezes que chamei as outras pelo seu nome… amor.

Então, depois de tanto tempo resolvi te escrever de novo. É que tá difícil, sabe? Às vezes as pessoas me fazem acreditar que você não existe. Já outras pessoas insistem em dizer que você era aquela lá… que eu deixei passar, que eu perdi. Então, só pra gente deixar tudo esclarecido… não era você, né? Não, claro que não. Você é diferente. Você vai ser diferente. E você vai ser diferente principalmente porque eu sou diferente agora. Afinal, né… 10 anos. 10 anos mudam a gente. Pra melhor ou pra pior eu não sei dizer, mas que mudam, ô, se mudam!

Sabe, amor, há algum tempo atrás sentei por horas numa rodoviária esperando me encontrar com alguém que pensei ser você. Tipo coisa de filme. Achei que, ao partir, ela aparecia no último minuto me pedindo pra ficar. Mas foi diferente, ela não apareceu e eu parti em prantos. E foi bem aí que eu soube que ela não era você, eu acho. Eu me arrisquei algumas outras vezes tentando te encontrar por aí. Arrisquei até mudar de cidade. Imaginei que você pudesse estar longe e eu deveria me esforçar mais pra te achar. Mas em nenhuma dessas vezes era você. E sabe, hoje eu estou aqui um tanto quanto cansada. Cansada e desconfiada de você. Você não me esqueceu, né? Olha, amor. Vim te dizer só que vou descansar as pernas um pouco. Vou estar aqui, esperando você. Mas vou ficar quietinha dessa vez. Espero que você não demore a receber essa carta.

Espero que você não demore a aparecer.

Relaxa

21 abr

Relaxa, está tudo bem.

Agora eu só choro depois das 16h.

Mais um

20 mar

Eu daria tudo por mais um sorriso seu. Mais uma risada, mais um carinho tão delicado sobre minha pele. Eu daria o mundo pra ser paz de novo.

Não é loucura se você sabe que está louco

20 mar

Agora eu falo sozinha. Finjo que você está me ouvindo. E falo. Acho que falo mais do que eu falava com você realmente. E eu falo, falo, falo. Te conto meu dia, desabafo os desaforos, faço alguma piada idiota e pergunto do seu. E é aí que eu acho que pirei, porque eu ouço você me contar do trabalho, no seu trajeto pra casa, com aquela voz de cansaço, mas se esforçando pra demonstrar o máximo de amor possível por mim. E me despeço de você, te desejo boa noite e no dia seguinte, bom dia. E assim sigo os dias. Sozinha, fingindo não estar.

Leve

19 mar

Seu corpo tinha o peso ideal para os meus braços. Qualquer peso que seu corpo tivesse, seria ideal para os meus braços.

O seu caderno

19 mar

Não escrevi nossa história. Não vivi nossa história.

Será que te devolvo todas essas páginas em branco ou a gente espera um pouco mais?

No espelho

19 mar

Você já fazia parte do meu reflexo. Eu me olhava e via você por entre as letras do batom que você sempre passava sem que eu pudesse admirar. Saudades. Da sua letra, do meu reflexo, do seu batom.

Vida

19 mar

Sem freio e sem motorista. Sigo a estrada sem saber se esbarro no carro do lado ou me choco contra o poste.

Astronaut

6 nov

It’s weird that you asked me for space.

When I was giving you my entire universe.

Quando você se foi

6 nov

É como perder as chaves de casa, sabe? Você está na porta, você sabe que pertence àquele lugar, mas você está do lado de fora. Você está do lado de fora.